Tribunal de Justiça Desportiva
do Futebol do Estado do Rio de Janeiro

Notícias

Home » Notícias » William, do Olaria, pega dois jogos de gancho por xingar a árbitra

William, do Olaria, pega dois jogos de gancho por xingar a árbitra

18/09/2017

Nesta segunda-feira (18), a Primeira Comissão Disciplinar do TJD-RJ julgou a expulsão de William, do Olaria, na partida com o São Gonçalo, pela nona rodada da Taça Corcovado. O camisa 9 foi apenado com duas partidas de suspensão.

Entenda o caso:

Ao término do jogo, que aconteceu no dia 19 de agosto, a equipe de arbitragem se reuniu no centro do campo, quando jogadores do Olaria se aproximaram reclamando do acréscimo. Após a cobrança, William deu as costas e proferiu xingamentos à árbitra Rejane Caetano, que foi informada do ocorrido pela assistente Millena Cristina. Após a expulsão, o jogador voltou e, de frente para Rejane, proferiu: “sua filha da p.! Vai tomar no seu c. Agora eu falo mesmo”, precisando ser contido por dirigentes do Olaria.

William foi denunciado no artigo 258 do CBJD, onde “assumir qualquer conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva” tem suspensão de uma a seis partidas.

Barra da Tijuca x América – Série B1 – 26 de agosto

Expulso de forma direta por dar uma cabeçada no rosto do adversário, aos 44 minutos da etapa final, Raphael Azevedo, do América, foi apenado com um jogo quanto à desclassificação para o artigo 250. A decisão foi por maioria de votos.

O jogador foi denunciado pelo artigo 254-A §1º I do CBJD, que fala em “desferir dolosamente soco, cotovelada, cabeçada ou golpes similares em outrem, de forma contundente ou assumindo o risco de causar dano ou lesão ao atingido”, com suspensão de quatro a 12 partidas.

O relator entendeu que não houve agressão e julgou o atleta pelo artigo 250, onde “praticar ato desleal ou hostil durante a partida” tem suspensão de uma a três partidas. Dr. Dario Correa Filho ficou vencido pois mantinha o artigo 254-A §1º I e dava quatro jogos.

Tigres do Brasil x Sampaio Corrêa – Série B1 – 27 de agosto

Expulso de forma direta aos 70 minutos por atingir com os pés as costas do adversário, em disputa de bola, Anderson dos Santos Silva, do Sampaio Corrêa, foi denunciado por “praticar jogada violenta”, com suspensão de uma a seis partidas, de acordo com o artigo 254 do CBJD. Por unanimidade, Anderson pegou um jogo.

Miguel Couto x Campos – Série C – 27 de agosto

Allison Alves, do Campos, foi expulso no minuto final do jogo com o segundo cartão amarelo, após agarrar o adversário em uma disputa de bola. Assim, o jogador foi incurso no artigo 250 do CBJD, que fala em “praticar ato desleal ou hostil durante a partida”, com suspensão de uma a três partidas. Por unanimidade, a Comissão aplicou pena mínima.

Serrano x Itaboraí – Série B1 Sub-20 – 27 de agosto

O árbitro Thiago Ramos, da partida entre Serrano e Itaboraí, no dia 27 de agosto, foi denunciado no artigo 266 por não relatar detalhadamente o fato que ocasionou a expulsão de um jogador do Serrano, dizendo apenas que houve força excessiva ao atingir o adversário.

Incurso por “deixar de relatar as ocorrências disciplinares da partida, prova ou equivalente, ou fazê-lo de modo a impossibilitar ou dificultar a punição de infratores, deturpar os fatos ocorridos ou fazer constar fatos que não tenha presenciado”, com suspensão de 30 a 360 dias, cumulada ou não com multa de R$ 100 a R$ 1 mil, Thiago pegou 30 dias, por unanimidade.

Rio de Janeiro x Mesquita – Série B2 Sub-20 – 27 de agosto

A expulsão aos 86 minutos, com o segundo amarelo, por dar um soco nas costas do adversário, rendeu a Thales Eduardo, do Mesquita, a denúncia no artigo 254-A §1º I do CBJD. Incurso por “desferir dolosamente soco, cotovelada, cabeçada ou golpes similares em outrem, de forma contundente ou assumindo o risco de causar dano ou lesão ao atingido”, com suspensão de quatro a 12 partidas, o atleta foi apenado com dois jogos quanto à desclassificação para o artigo 250 §1º II.

Bela Vista x Juventus – Série B2 Sub-20 – 28 de agosto

O atraso do médico da equipe do Bela Vista em 15 minutos, rendeu ao clube a denúncia no artigo 206 do CBJD, que fala em “dar causa ao atraso do início da realização de partida ou deixar de apresentar a sua equipe em campo até a hora marcada para o início ou reinício da partida” e tem multa de R$ 100 até R$ 1 mil por minuto.

Por unanimidade de votos, o Bela Vista foi multado em R$ 120 por minuto, totalizando R$ 1,8 mil.

Portuguesa x Rio das Pedras – Torneio Guilherme Embry Sub-16 – 23 de agosto

A partida Sub-16 entre Portuguesa e Rio das Pedras não foi realizada pela ausência do médico. A situação rendeu à Lusa a denúncia no artigo 203 do CBJD, onde “deixar de disputar, sem justa causa, partida, prova ou o equivalente na respectiva modalidade, ou dar causa à sua não realização ou à sua suspensão” tem multa de R$ 100 a R$ 100 mil e perda dos pontos em disputa a favor do adversário, na forma do regulamento.

A Procuradoria pediu a desclassificação, acolhida por unanimidade, para o artigo 191 III, que fala em “deixar de cumprir, ou dificultar o cumprimento: de regulamento, geral ou especial, de competição”, com multa de R$ 100 a 100 mil. A Portuguesa foi multada em R$ 3 mil, por maioria de votos.

Olaria x Ceres – Série B/C Sub-15 – 26 de agosto

Expulso por reclamar das marcações da arbitragem ofendendo e acusando o árbitro, Renato Santana, preparador físico do Ceres, foi multado em R$ 500 e pegou quatro jogos de gancho.

O profissional foi denunciado no artigo 243-F do CBJD por “ofender alguém em sua honra, por fato relacionado diretamente ao desporto”, com multa de R$ 100 a R$ 100 mil e suspensão de uma a seis partidas.

Resende x São Gonçalo – Série B/C Sub-15 – 27 de agosto

Kayo Emanuel, do Resende, foi expulso de forma direta, aos 28 minutos, por dar um chute no tornozelo do adversário. Pela conduta, o jogador foi denunciado no artigo 254 §1º I do CBJD, onde “qualquer ação cujo emprego da força seja incompatível com o padrão razoavelmente esperado para a respectiva modalidade” tem suspensão de uma a seis partidas. Por unanimidade de votos, Kayo foi apenado com um jogo.

Elise Duque/Assessoria TJD-RJ